Por Pet Conecta Digital Em Vet Atualizada em 10 MAI 2022 - 11H52

Saiba mais sobre gestão de negócios em clínicas veterinárias

Médicos veterinários que desejam ter seu próprio negócio devem ter cautela e planejamento, segundo Professor e Doutor Marcos Gioso.



A abertura de um negócio envolve pontos fundamentais para que ele tenha o sucesso esperado e não decline antes de apresentar resultados positivos. Assim como em outros segmentos, o mercado pet também requer uma série de processos a serem seguidos e que definirão o futuro do empreendedor.

Segundo a Abinpet, o ramo pet já representa 0,36% do PIB brasileiro, à frente dos setores de geladeiras e freezers e componentes eletroeletrônicos. Com um desempenho além de satisfatório, o mercado pet e veterinário torna-se atrativo para novos investimentos.

Para o professor Marco Antônio Gioso, professor docente do curso de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e especialista em gestão de negócios, muitos profissionais veterinários acreditam que sua experiência e formação acadêmica são suficientes para abrir uma clínica ou pet shop. Mas, apesar de toda a vivência, é de extrema importância possuir conhecimentos sobre gestão de negócio.

“O profissional veterinário possui, evidentemente, um vasto conhecimento sobre sua área de atuação e sobre o mercado - pois o vive melhor que ninguém -, mas isso não quer dizer que ele esteja pronto para abrir seu negócio próprio. O mercado, ao mesmo tempo que possui oportunidades de investimento, também tem uma grande concorrência. É muito importante definir seu diferencial, objetivo e meta”, comenta o professor.

Para auxiliar quem deseja iniciar um negócio na área, o especialista separou algumas dicas fundamentais, veja abaixo:

• Estudo e pesquisa de mercado

É imprescindível que o profissional, ao decidir abrir seu negócio, realize uma boa pesquisa de como está o mercado e o que ele pode oferecer para agregar algo diferente do que já existe.

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária, o Brasil em 2020, tinha 154,9 mil médicos-veterinários e zootecnistas, figurando entre os países com o maior número desses profissionais no mundo. Um aumento de aproximadamente 36mil profissionais nos últimos 3 anos.

Cada vez mais médicos-veterinários se formam no país: foram 6.229 em 2020, graças aos 328 cursos de medicina veterinária no país. A quantidade de clínicas veterinárias também não para de crescer: o total é de 53,1 mil em 2020, aumento de quase 40% nos últimos 3 anos.

“Com um mercado que cresce a passos consideráveis, é importante que o primeiro passo seja procurar o Sebrae, que possui dados atualizados do setor, e buscar orientação com profissionais e consultores em negócios. Uma boa ideia é assistir a algumas aulas de empreendedorismo, online ou presencial”, sugere Gioso.

• Plano de negócios

Segundo o professor, é quase impossível administrar um estabelecimento sem um plano de negócios, que deve contar com três pilares: estabelecer metas, planejá-las e executá-las. Com as etapas estabelecidas, inicia-se a gestão do negócio que engloba objetivos, valores, recursos humanos, escolha de fornecedores, gerenciamento de estoque e controle financeiro.

“O plano de negócios é importante porque mostra ao proprietário o quanto ele pode gastar, o quanto deve investir e o que deve comprar, evitando assim que o estabelecimento entre em dívidas antes de começar”, afirma o doutor.

• Contratação de funcionários

Escolher os profissionais que irão integrar a empresa não é uma tarefa fácil. Além das habilidades técnicas que o dono precisa encontrar, é importante observar o comportamento do futuro colaborador, que precisa ter atitude e acreditar no propósito da empresa para que os dois cresçam juntos.

“O colaborador que trabalha neste tipo de negócio precisa ter algumas características próprias para que se adapte ao trabalho. O funcionário representa o seu negócio, ele que estará na linha de frente com os clientes. Por isto, precisam ser bem orientados para que façam um bom atendimento e cativem o consumidor”, pontua o profissional.

• Atenção aos imprevistos

É importante lembrar que todo começo é difícil e cada pequeno passo deve ser feito com cautela e muita pesquisa. Os primeiros meses são de investimento e é essencial que os futuros empreendedores disponham de capital de giro, que servirá para cobrir as despesas corriqueiras. Outro ponto de atenção e que costuma pegar muitos empresários de surpresa são os processos trabalhistas.

“Indico que além da gestão financeira, seja feito um bom aprofundamento em leis trabalhistas, adequação aos acordos coletivos do sindicato e zelo com o colaborador que, se satisfeito, se sente ainda mais motivado a entregar o melhor trabalho. O caminho é árduo, mas se feito com atenção e cuidado será de grande sucesso”, conclui o consultor.

Gostou deste conteúdo? Assine nossa newsletter e receba as novas oportunidades de negócios no mercado pet!

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pet Conecta Digital, em Vet

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.