Juliana Damasceno

“Babá de Gatos” a profissão dos sonhos de todo gateiro

Com o aumento dos gatos como animais de companhia, cresce cada vez mais a procura por cat sitters, ou seja, babás de gatos

Escrito por Juliana Damasceno

01 FEV 2023 - 07H00

Ano após ano os gatos estão ganhando cada vez mais espaço nos lares brasileiros. O aumento dos felinos no país demonstrou-se expressivo no último senso, apontando um crescimento de 4% de 2020 para 2021, totalizando 27,1 milhões de gatos em lares brasileiros. Seguindo essa crescente, os tutores por sua vez buscam por produtos e serviços que sejam especializados para seus pets. E quando se trata de se ausentar, viajar pode ser um problema para quem tem gatos.

Como animais territoriais, gatos se sentem seguros e protegidos nos perímetros de seu território, diferentemente dos cães, sair de casa pode ser uma grande questão. Deixar seu ambiente gera uma forte sensação de descontrole para o gato, que acaba por sofrer estresse desde a saída e transporte, até a adaptação no novo ambiente de chegada. O estresse promovido pela saída de casa pode gerar questões de saúde e emocionais que vão desde problemas no trato urinário e gastrointestinal, até questões de compulsão e agressividade, por exemplo.

Para solucionar essa dificuldade, garantindo o bem-estar dos gatos durante a ausência de seus tutores, o cat sitter é peça fundamental. Um profissional especializado em cuidados para felinos é capaz de manter todos os recursos disponíveis como: água, comida e caixa de areia limpa, além de garantir que o gato tenha suas necessidades comportamentais atendidas. Para que o bem-estar de um animal seja mantido em condições elevadas, importantes pilares devem ser considerados como: contato humano positivo, consistente e previsível, assim como a estimulação de comportamentos naturais. Para os felinos, que são predadores especializados, caçar é fundamental para manter a saúde física e mental. Portanto, o profissional cat sitter especializado saberá prover o melhor contato positivo humano-gato além de estimular comportamentos como o de caça (por meio de brinquedos interativos, por exemplo).

Para muitos amantes de felinos, essa pode ser a oportunidade de trabalhar com o que ama, auxiliando humanos e seus gatos. Os atendimentos podem serem iniciados como uma renda extra até se tornarem a tão almejada independência financeira. A procura por atendimentos em datas comemorativas como Natal, Ano Novo, Carnaval, pascoa, etc cresce a cada ano, demonstrando que a profissão está em alta. Na Wellfelis constatamos um aumento de 20% de 2021 para 2022 nos atendimentos de dezembro, uma das épocas mais procuradas.

Além dos feriados, finais de semana e férias escolares, uma outra possibilidade de atendimento, podem ocorrer diariamente para pessoas que tenham a rotina mais corrida como médicos e empresários, por exemplo, que podem vir a optar por pacotes de atendimentos mensais.

Como me tornar um(a) cat sitter?

Para trabalhar como um cuidador de gatos é fundamental ter afinidade com a espécie, se você está lendo essa matéria e se considera um “gateiro”, você já passou pelo primeiro critério para se tornar um cat sitter. Apesar de não ser uma profissão regulamentada, é imprescindível que o profissional busque especializações em comportamento e bem-estar felino. A responsabilidade e o comprometimento para cuidar de um gato na ausência de seus tutores é grande, portanto, para que o trabalho seja realizado com profissionalismo e seriedade é fundamental que haja uma base de preparo. Conhecimentos relacionados a espécie como: posturas corporais, expressões faciais, vocalizações, funcionamento dos órgãos dos sentidos, necessidades comportamentais, identificação de questões de saúde e comportamentais, devem estar no currículo do profissional. Para isso cursos de formação e aperfeiçoamento são fundamentais, na Wellfelis (wellfelis.com.br) oferecemos vários cursos nesse sentido, para aperfeiçoamento de profissionais.

Quanto ganha um(a) cat sitter?

O serviço geralmente é cobrado por atendimento, que pode durar entre 40 min e 1h30min em média, e os valores variam de acordo com cada região do país, sendo em média entre 50 a 200 reais por atendimento. A quantidade de atendimentos no mês dependerá da disponibilidade do profissional, assim como a conquista da cartela de clientes, que serão fidelizados a partir da entrega do atendimento ideal. Além disso, é indicada a realização de parcerias e divulgação nas redes sociais para que as pessoas do seu bairro/cidade saibam do oferecimento do serviço.

O profissionalismo desde a estrutura do trabalho em relação à organização, protocolo e informativos sobre o atendimento são fundamentais para conquistar a confiança do cliente no trabalho. Mas é claro que o principal é conquistar o felino, e esse laço que é fortalecido atendimento pós atendimento mantem uma relação de afeto e confiança entre gato e profissional, o que torna esse trabalho tão satisfatório para quem ama os bichanos.  

juliana damasceno header
Juliana Damasceno

O que fazer para resgatar um gato arredio (arisco)?

Resgate de gatos arredios nas ruas requer paciência e cuidados. Prepare-se com caixa de transporte, alimentos atrativos e luvas. Aproxime-se gradualmente, evitando forçar contato. Após o resgate, opte pela esterilização e devolução ou encaminhe para adoção responsável. Gatos arredios necessitam de socialização gradual em ambientes seguros, estimulando positivamente.

juliana damasceno header
Juliana Damasceno

Gatos e visitas: o que fazer quando o felino tem medo de pessoas desconhecidas

Gatos escondem-se de pessoas desconhecidas devido ao instinto de autopreservação, relacionado à territorialidade. Esse comportamento, se não mitigado desde filhote, pode resultar em estresse e problemas de saúde. A sociabilização precoce é crucial para gatos confiantes. Dicas incluem associar visitantes a experiências positivas, criar refúgios adequados e recompensar avanços. Tutores devem evitar repreensões, promovendo um ambiente seguro. Para gatos adultos temerosos, é possível incentivá-los gradualmente a interagir com estranhos. A WellFelis oferece serviços especializados, garantindo o bem-estar dos gatos durante a ausência dos tutores. Gatos mais sociáveis são mais saudáveis e felizes, independentemente da idade.

Marcela Barbieri_header
Marcela Barbieri

Coprofagia - distúrbio que vai além do comportamento

Muitos tutores e até Veterinários acreditam que o comportamento coprofágico está relacionado apenas à questões comportamentais. Porém, estudos mostram que a coprofagia na verdade pode sinalizar problemas graves que estão acontecendo no organismo do animal.

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Juliana Damasceno, em Juliana Damasceno

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.