Juliana Damasceno

Rotina e Previsibilidade podem ser o segredo para evitar problemas comportamentais em gatos

Escrito por Juliana Damasceno

21 JUN 2023 - 07H00

Como animais territoriais os gatos possuem necessidade de controlarem seu território. Em vida livre, o gato seleciona sua área com a quantidade de recursos suficientes para a sua sobrevivência como: fontes de potenciais presas para se alimentar, locais de abrigo, hidratação e proximidade de parceiros sexuais.

Para a utilização dessa área com eficiência e baixa competição com outros gatos concorrentes, controlar o tempo que cada atividade leva e os melhores horários para a realização de cada comportamento promove segurança e efetividade.

Por exemplo, gatos costumam caçar no crepúsculo (amanhecer e entardecer), pois são os momentos que suas presas estão mais vulneráveis, saindo ou chegando de seus ninhos e tocas.

Quando há sobreposição do território com outro felino, por exemplo, para que não haja encontros de competição, eles ajustam seus horários. Enquanto um descansa o outro patrulha o ambiente e caça, e vice-versa.

Por essa razão o controle do ambiente e a percepção temporal dos gatos é tão precisa. Quando algo ocorre sempre da mesma forma em casa logo eles aprendem quando irá acontecer. Quem não tem aquele gato em casa que sabe exatamente a hora que o tutor chega? Ou o exato momento que ele é servido com um alimento favorito?

Por isso, gatos criam sua própria rotina em seu ambiente e quando nós adicionamos atividades importantes para o bem-estar deles nessa rotina de maneira consistente conseguimos prevenir que questões comportamentais se instalem.

Quando programamos a sequência de eventos que irão acontecer ao longo do dia, com sinais ambientais de tempo e estímulos, eles não só aprendem quando irão ocorrer, mas ajustam sua necessidade para esses momentos.

Ausência de uma rotina bem instituída pode gerar dependência para requisição de recursos e facilitar o desenvolvimento de problemas comportamentais como: hipervocalização, ansiedade, ansiedade de separação, agressividade, eliminação em locais inadequados, hiper-apego, comportamentos compulsivos, entre outros.

Abaixo seguem 5 itens fundamentais para adicionarmos na rotina dos gatos, com períodos determinados do dia:

Momento da alimentação: independente se a alimentação fica disponível o dia todo para o gato em livre demanda ou é oferecida em porções, é importante ter um ou mais horários fixos para a reposição do alimento fresco, evitando assim que o gato necessite requisitar o alimento. Essa indicação vale tanto para alimento seco quanto para úmido;

Higienização das caixas de areia: a limpeza das caixas de areia com a retirada de fezes e urina deve ocorrer duas vezes ao dia, sendo importante que esses horários sejam regrados o máximo possível para que tenham areia limpa para eliminarem. A falta de higienização da caixa pode promover eliminação em locais inadequados, assim como o desenvolvimento de questões no trato urinário e gastrointestinal;

Contato de carinho e atenção: sim, até mesmo para o carinho e atenção devemos instituir o momento certo. Principalmente para casas multicat e para quem faz home-office ter os momentos ideais e individuais com cada gato, que sejam positivos para eles, faz com que nçao haja competição entre os gatos, assim como a necessidade de chamar a atenção durante o trabalho;

Estimulação de caça: gatos precisam brincar de caçar todos os dias, pelo menos uma vez ao dia é indicado que os tutores tenham de 15 a 30 minutos dedicados a estimulação com brinquedos variados como: varinhas com penas, ratinhos e demais itens que mimetizem movimentos de presas para que o gato possa expressar comportamentos importantes como espreitar, perseguir, emboscar e atacar.

Outras atividades particulares: medicação, escovação, passeio (para aqueles que são treinados a passear com a guia) e demais atividades individuais de cuidados devem também se enquadrar na programação.

Mas a previsibilidade não pode ser entediante? Colocar em prática uma rotina não significa que o ambiente não possa ter novidades. Gatos se habituam e se entediam facilmente da monotonia, mas não da previsibilidade, que são coisas distintas. Variar os estímulos utilizados no momento da caça, variar os tipos de atividades no momento do carinho, e ter diversos e randomizados recursos para acessarem como arranhadores, refúgios e outras estimulações também são fundamentais para o bem-estar do felino.

Portanto, estabeleça uma rotina saudável com seu felino para que ele tenha suas necessidades comportamentais atendidas para que ele tenha qualidade de vida e bem-estar.

Caso seu gato esteja apresentando dificuldade em algum dos pontos citados, procure um profissional especializado em comportamento felino para lhe auxiliar. 

juliana damasceno header
Juliana Damasceno

O que fazer para resgatar um gato arredio (arisco)?

Resgate de gatos arredios nas ruas requer paciência e cuidados. Prepare-se com caixa de transporte, alimentos atrativos e luvas. Aproxime-se gradualmente, evitando forçar contato. Após o resgate, opte pela esterilização e devolução ou encaminhe para adoção responsável. Gatos arredios necessitam de socialização gradual em ambientes seguros, estimulando positivamente.

juliana damasceno header
Juliana Damasceno

Gatos e visitas: o que fazer quando o felino tem medo de pessoas desconhecidas

Gatos escondem-se de pessoas desconhecidas devido ao instinto de autopreservação, relacionado à territorialidade. Esse comportamento, se não mitigado desde filhote, pode resultar em estresse e problemas de saúde. A sociabilização precoce é crucial para gatos confiantes. Dicas incluem associar visitantes a experiências positivas, criar refúgios adequados e recompensar avanços. Tutores devem evitar repreensões, promovendo um ambiente seguro. Para gatos adultos temerosos, é possível incentivá-los gradualmente a interagir com estranhos. A WellFelis oferece serviços especializados, garantindo o bem-estar dos gatos durante a ausência dos tutores. Gatos mais sociáveis são mais saudáveis e felizes, independentemente da idade.

Marcela Barbieri_header
Marcela Barbieri

Coprofagia - distúrbio que vai além do comportamento

Muitos tutores e até Veterinários acreditam que o comportamento coprofágico está relacionado apenas à questões comportamentais. Porém, estudos mostram que a coprofagia na verdade pode sinalizar problemas graves que estão acontecendo no organismo do animal.

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Juliana Damasceno, em Juliana Damasceno

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.