Rodrigo Albuquerque

Processo de recrutamento e seleção também precisa evoluir

Coluna Empreendedorismo com Rodrigo Albuquerque

Escrito por Rodrigo Albuquerque

08 JUN 2022 - 08H00

O currículo ainda tem sido a principal fonte de informação para muitas empresas no processo de recrutamento e seleção. Todavia, usar somente o currículo baseado nas experiências do candidato não é suficiente para a tomada de decisão.

Por isso, esta primeira etapa é tão importante! É necessário que os gestores tenham um olhar mais crítico e aprofundado sobre as pessoas que desejam ter como colaboradores.

Na Petland&CO criamos uma metodologia que ajuda a revelar outras habilidades da pessoa. Além do currículo, o candidato deve encaminhar um vídeo curto de apresentação para justificar o interesse pela vaga. Assim, conseguimos decifrar alguns traços do seu comportamento.

Nesta fase, já eliminamos muitas pessoas que não estão preparadas para uma situação inesperada. No vídeo é possível avaliar a forma da pessoa se comunicar e também de se vestir, se ela estiver usando terno e gravata, não entendeu nada da cultura do negócio.

Para aqueles que desejam trabalhar num petshop a comunicação é um pré-requisito importante no atendimento ao cliente e também do seu pet. Do gerente de loja ao banhista e tosador, todos devem saber dialogar com o cliente a fim de criar um relacionamento personalizado.

Com esse recurso do audiovisual muitos candidatos não passam para a segunda fase, onde aplicamos um teste mais detalhado para saber de outras características da sua personalidade, por exemplo, se a pessoa é extrovertida ou introvertida.

Vale ressaltar que o processo de recrutamento e seleção pode levar meses. Na prática, poucas empresas têm paciência e métrica. Às vezes, é necessário entrevistar mais de 30 candidatos para selecionar uma pessoa que preencha os requisitos para a vaga.

Na maioria dos casos, quando a contratação é feita sem uma metodologia eficiente, a rotatividade é constante. É por esse motivo que na Petland&CO existe um departamento de Gente e Gestão, cujo foco é buscar no mercado de trabalho o profissional que mais se adequa à cultura organizacional da empresa, além de promover ações de melhorias na qualificação do quadro de funcionários.

De forma mais estratégica, as ações da área de Gente e Gestão estão voltadas para gerar interesse das pessoas em trabalhar na Petland. O processo de recrutamento e seleção começa com a divulgação da vaga e como comunicar corretamente os perfis de interesse da empresa, ou seja, a estratégia na divulgação para a vaga de um consultor comercial é muito diferente de um veterinário.

Com a implantação do sistema Gupy, que usa a inteligência artificial, esse processo foi facilitado, e a vaga é distribuída para diversas plataformas de captação de candidatos, como Catho, LinkedIn, entre outros.

A empatia pela cultura da empresa também é um pré-requisito na contratação. Na prática, se a pessoa for sistemática e gosta de seguir à risca os processos, terá dificuldade em trabalhar na Petland. Aqui, nada é burocrático e as mudanças são dinâmicas. O que desejamos é que o profissional seja proativo e esteja comprometido em atingir os resultados.

Num mercado tão competitivo como o pet, a combinação entre comportamento, experiência e técnica torna o profissional mais valioso. A experiência e a qualificação profissional para o cargo pretendido têm peso, mas não são eliminatórios. Queremos pessoas que tenham atitude e damos a oportunidade para que elas se desenvolvam. Já o comportamento é um fator eliminatório.

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rodrigo Albuquerque, em Rodrigo Albuquerque

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.