Panorama PET VET

Mercado pet em Minas Gerais corresponde a 13% do setor

Escrito por Panorama PET VET

06 JUN 2024 - 08H00

Com cerca de 23 mil lojas físicas, o mercado de pet shops em Minas Gerais foi o que mais cresceu no setor em 2023. Em um ano, a participação do estado no total de estabelecimentos subiu três pontos percentuais e já chega a 13%. Além da capilaridade, a digitalização vem contribuindo para esse avanço, conforme apontam indicadores da Fecomércio-MG.

Esse segmento vem acompanhando a trajetória de ascensão do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro, que pela primeira vez superou R$ 1 trilhão após os resultados de 2023. A economia do estado é a terceira maior do país, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro, mas assume a segunda colocação quando o assunto é o varejo pet.

E um dos fatores que explica esse cenário é o advento do e-commerce de pet shops. De acordo com a Fecomércio-MG, as vendas online já são realidade em 35% dos estabelecimentos em Minas Gerais e 6,3% manifestaram a intenção de implementar esse sistema.

As transações digitais chegam a representar pelo menos 20% do faturamento em 54% das lojas. Foram analisados 353 pet shops de diversas regiões do estado. O WhatsApp e as redes sociais são os canais mais utilizados pelos varejistas que já adotaram as vendas pela internet. Os dados foram publicados pelo portal Giro News.

Pesquisa indica itens mais vendidos no mercado pet em Minas Gerais

Entre os produtos mais buscados pelos tutores no mercado pet em Minas Gerais estão os alimentícios (57,2%), medicinais (33,7%), acessórios (31,8%), higiene (28,9%) e vestimentas (6,4%). Já entre os serviços estão banho e tosa (70,2%), transporte (34,3%), hospedagem (5,4%), passeador de cães (3,5%) e adestramento (1,2%).

Ainda segundo o estudo, cerca de 66% dos pet shops mineiros ofertam também serviços nas lojas e 34,5% dos estabelecimentos contam com o atendimento médico veterinário.

Com relação aos diferenciais oferecidos pelo varejo pet, os programas de fidelidade lideram, com 33,9% dos PDVs disponibilizando essa opção. Em seguida, vêm os programas de assinatura (16,9%), desconto no mês de aniversário do pet (13,6%) e banhos terapêuticos (3,4%).

“A relação entre humanos e pets está em constante transformação e o investimento no bem-estar dos animais de estimação encontra-se em crescimento. Segundo 67,2% dos pet shops entrevistados, o gasto médio dos seus clientes gira em torno de R$ 25 a R$ 100”, comenta Gabriela Martins, economista da Fecomércio-MG.

vista-superior-sobre-acessorios-para-animais-de-estimacao_23-2150930398
Panorama PET VET

Lista das maiores indústrias de rações tem 4 brasileiras

Quatro empresas brasileiras estão entre as 15 maiores indústrias de rações da América Latina, liderando a lista. Juntas, faturaram US$ 1,3 bilhão em 2023. A BRF Pet lidera com R$ 3,2 bilhões, seguida pela Special Dog com R$ 2 bilhões, Premierpet com R$ 1,1 bilhão e Total Alimentos com R$ 1 bilhão. A indústria de pet food na América Latina cresceu 41% em cinco anos, passando de US$ 8,88 bilhões em 2019 para US$ 11,69 bilhões em 2023.

close-up-veterinarian-taking-care-dog
Panorama PET VET

Setor quer nova regra para veterinários na reforma tributária

Entidades e empresas como ANMV, ABHV, Petlove, Petz, Zee.Dog e WeVets buscam incluir a saúde veterinária na reforma tributária para reduzir em 60% as alíquotas do IBS/CBS, argumentando que isso evitaria prejuízos à categoria e à qualidade dos serviços, além de combater a informalidade. A reforma pode aumentar a carga tributária de 15% a 30%, impactando negativamente o acesso aos serviços, especialmente para as classes C, D e E.

Grupo-Patense-768x432
Panorama PET VET

Indústria de rações vai à Justiça por dívida de R$ 2 bi

O Grupo Indústria de Rações Patense, fabricante brasileira de pet food com exportações para três continentes, solicitou recuperação judicial. A empresa pediu o bloqueio da execução de dívidas por 60 dias para renegociar com credores, reconhecendo uma dívida de R$ 2,17 bilhões. Fundada em 1970, a Patense opera em Minas Gerais e em outros estados, com 35% do faturamento vindo do exterior. A crise atual, atribuída a aquisições entre 2021 e 2023, resultou em dívidas bancárias e problemas com CRAs e debêntures. Em abril, credores anteciparam o vencimento das dívidas devido a inadimplência.

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Panorama PET VET, em Panorama PET VET

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.